domingo, 31 de agosto de 2008

Brilho da Luz Solar



Na fraqueza, a derradeira;
No Amor, primeira pessoa.
O alento que vento soa
Como que fosse poeira.
Sois a onça feiticeira.
Semidéia de além-mar,
Que faz a terra brilhar.
Mulher, meu olhar suspeita
Qu'assim como a lua, és feita
Do brilho da luz solar!

Da fortaleza as paredes;
Do pescador os anzóis;
Da corda, os pontos de nós
Por onde se puxa a rede.
Sois água que mata a sede,
Que faz o açude sangrar.
Sois cheiro bom de cheirar.
Mulher,que'o mundo, deleita
Assim como a lua, és feita
Do brilho da luz solar!

Sois geradora da vida,
Do romantismo garboso
E do poema amoroso
Que um sentimento valida.
Sois um caminho de ida
Pra quem deseja chegar
No cerne do verbo amar.
Mulher, pelo Olimpo eleita,
Assim como a lua, és feita
Do brilho da luz solar!

Sois bela que amansa a fera,
Sois grito da Multidão,
A musa do artesão
Que esculturas pondera.
Sois chuva que se espera
Pr’um pé de planta florar.
Faz gosto de te gostar!
Mulher, em tudo perfeita,
Assim como a lua, és feita
Do brilho da luz solar!

João Pessoa, 31/08/2008.

4 comentários:

Anônimo disse...

Oilá menino Jesse....boa tarde!

...espero que sua alma sensível, te obrigue sempre a fazer sua mente racionalizar idéias como esta, e que suas mãos apegadas e firmes com o lápis, nos brinde com seus poemas.....
abraço...Roserlei

welma disse...

só pra registrar: essa eu tb aprovei!!!
bem pokin pretenciosa :P

kkkkkkkkkk

xeru

Gardênia disse...

Dessa vez deixo o comentário... Se dedica mais a isso, vc é muito bom...

pokolino disse...

Adorei seu poema, deverias fazer mais sobre os astros.