domingo, 6 de dezembro de 2009

Ode a Morena

Morena, os teus cabelos
rebeldes, mas delicados,
escorrem sobre teu rosto,
de traços bem desenhados;
tua pele em tom canela
desbanca qualquer branquela
e arrebanha apaixonados!

Morena, teu cheiro invade
e aflora o meu olfato;
perfuma minha vontade,
arrepia meu extrato
que só pensa em dar um bote
no cheiro do teu cangote;
mesmo sendo, assim, gaiato!

Morena, essas tuas coxas
são coisas de outro mundo;
O teu bumbum (nem te falo!)
é primeiro sem segundo;
teu corpo é todo pecado,
é caminho assegurado
pro deleite mais profundo!

Morena, esse teu olhar
somado com teu sorriso
são cento e cinqüenta gramas
a menos no meu juízo;
e desse jeito eu te juro:
bora ali num pé de muro
qu’eu te mostro o paraíso!

João Pessoa, 06/12/2009.

2 comentários:

Carolina disse...

=*

Roserlei disse...

Minino poeta....Jesse..

Tu é bom demais...

LINDO seu poema...

Você tem um dom de mexer com nosso Eu...vivo.
Siga essa sua LUZ
Abraço,
Roserlei