domingo, 1 de maio de 2011

Tome, pode levar.



Agarre direito, que o prêmio é frágil
Não ponha no bolso, na bolsa ou na mala
Não deixe no carro, no quarto ou na sala
Não perca de vista que atrai mau presságio
Não mostre a ninguém, não arrisque um contágio
Que a perda é grande se o dito estragar
Por isso procure ao menos tentar
Enfim, por favor, me estenda à mão
Tás vendo isso aqui? É o meu coração
Que agora é teu. Tome, pode levar!

João Pessoa, 01/05/2011.

Um comentário:

Roserlei disse...

Poeta minino Jessé...

"TOME, PODE LEVAR"

...sei que choro fácil....

"Lindooooooooooo"
Abraço