terça-feira, 28 de setembro de 2010

O alívio no teu assopro



Assopra minha alma, por favor,
que ela está ferida e ardendo;
que ela de ardor está gemendo
e só o teu assopro tem fulgor
e o poder de aliviar a dor
que minha pobre alma atormenta;
pois teu assopro é brisa que acalenta
a brasa que me queima assim por dentro.
Só teu assopro abala o epicentro
da dor que a minh’alma adoenta....

Por isso faz assim: inspira amor
E espira teu assopro no meu olho;
Que, sendo ele a porta da minh’alma,
Pra ti eu tiro a trinca e o ferrolho!

João Pessoa, 28/09/2010.

Um comentário:

Roserlei disse...

Minino poeta....Jessé

...essa sua visão de vida é de um velho menino.
...borboleta colorida....por favor assopra minh´alma!Lindo.