sábado, 26 de julho de 2008

Num Aceno e até Já

Vim aqui me despedir
Num aceno e até já
Daqueles que por aqui
Vinham me prestigiar
Tou parando de escrever
Pr’outras coisas aprender
E na vida me aprumar

Dedicado à engenharia
Ficarei longe do fundo
Do poço e da mixaria
De um rumo sujismundo
E levo na minha rima
A lição que mais se estima:
Cada cabeça é um mundo!


Vou garantir meu futuro
Sem engrenagem virar
E assintoticamente
Vou deixar de escrevinhar
Lhes deixando abraços meus,
Não em forma de adeus
Pois um dia hei de voltar!

(Jessé Costa)

2 comentários:

Anônimo disse...

oia menino...seu caminho tá traçado....a poesia vai contgo onde estiver..a sua visão de mundo é especial e a sua extrema sensibilidade em relação ao outro vai vida afora...TODO sucesso na VIDA.
ATÉ BREVE.
Roserlei

welma disse...

num gostei disso não!!!!
e o que eu vou ler agora?!ham?!!!

:P
té mais!!!