quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Tempos de Crise

Cabedalmente falando
Não era muito vistoso
Inda por cima tinhoso
Nada do qu’ela queria
Mas quando num certo dia
Uma bolada levou
E de real enricou
Ficou bonito, o gatuno
O sonho do seu consumo
E ela assim se casou

Mas já passado algum tempo
Quando madama virou
O novo rico quebrou
E ficou pobre outra vez
E agora vejam vocês
Como se deu o final:
Visando não se dar mal
E ter que pedir esmola
Arrumou um love em DOLLAR
Trocando o amor REAL

(Jessé Costa)

2 comentários:

João Felipe disse...

Parabéns pelas poesias, meu velho!
E pode ficar certo de que você acabou de ganhar um assíduo frequentador!

Abraço e nunca deixe de colocar um quartinho de poesia, pois gosto de me embreagar nesses versos matutos!

Parabéns!

Roserlei disse...

Olá poeta menino...bom dia!

Em tempos de crise...até o love se torna do-lar e deixa de ser re-al

abraço,
Roserlei