segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Valimento

Vontade de dar um beijo
Vontade de te abraçar
E em teu ouvido falar
Uma tuia de gracejo
Pois, ou mato meu desejo
Ou ele vai me matar!
E se assim me definhar
Bem perto do paraíso
Nas covas do teu sorriso
Eu quero me enterrar

Taliquá um João de Barro
Que fecha a porta do ninho
Eu fico sem teu carinho
E meus sentimentos varro
Numa gafe sem pigarro
Compondo sem declamar
E se a morte me chegar
E me levar sem aviso
Nas covas do teu sorriso
Eu quero me enterrar

Já nas paragens da vida
Pelos caminhos do mundo
Falou-me um oriundo
De uma terra perdida
Que a natureza convida
A quem sabe lhe falar
Pra um grande amor plantar
E certo que enraízo
Nas covas do teu sorriso
Eu quero me enterrar!

(Jessé Costa)

4 comentários:

Roserlei disse...

Jesse...Boa Noite"

Lindo e envolvente seu poema.
Pensando bem estamos todos sempre, em valimentos.
Abraço,
Roserlei

Roserlei disse...

Jesse...Boa Noite"

Lindo e envolvente seu poema.
Pensando bem estamos todos sempre, em valimentos.
Abraço,
Roserlei

welma disse...

=)

Rose disse...

NOSSA!!!!!!!! ESSE É SIMPLISMENTE PERFEITO AMEEEEEEEI
XERO ROSE