terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Arrendamento



O vento que te assanha
Vem e me acaricia
Aliviando a sanha
De não te ver neste dia
E quando em brisa se amansa
Derrama em mim a lembrança
Dos traços do teu sorriso
Do teu olhar penetrante
E do teu cheiro marcante
Que me acalanta o juízo

E eu te arrendei o meu peito
Lucrando em felicidade
Mas cuide dele direito
Já que plantaste saudade
Pois essa monocultura
Mata o solo em que apura
Se não for sempre regada
Com a água dos desejos
E adubada com beijos
Da lavradora amada!

(Jessé Costa)

5 comentários:

Carolina disse...

Um poeta encantador, cheio de destreza, detalhista e com um sorriso mais lindo do mundo ... me conquistou!
Jessezinho, o caba mais criativo que eu já vi, inteligente e que não perde uma piada!
Tem o poder de dar vida as palavras que escreve, sempre com muito talento e espontaneidade ...
De repente surgiu na minha vida e estou muito feliz com você fazendo parte dela!
Te adoro demais
Beijãooo

Roserlei disse...

MININO jESSÉ...PARABÉNS...
LINDA SUA MUSA.Que os anjos e os sinos estejam tocando prá vocês.

Deixo aqui " FELIZ NATAL E UM NOVO ANO DE PROFUNDAS REALIZAÇÕES PESSOAIS.
Que essa LUZ que te guia esteja presente em todas as DECISÕES.
Abraço,
Roserlei

welma disse...

hummm
inspirado todo hein??
adorei! lindaa!!!

gilson disse...

\o/
É amor demais!!

Priscila disse...

Lindo!!
e a foto ajuda bastante ^^

xeroo