sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Teu Frevo e Minha Capoeira

Pía mesmo pra Baiana
Que baixou no meu pensar
Feito lapada de cana
Fez meu gogó se amarrar
E eu lá de Pernambuco
Penso que fiquei maluco
Pois vejo meu caboclinho
Se jogar na capoeira
Dessa morena matreira
Que vem lá do pelourinho

E o terreiro do meu peito
Recebeu seu candomblé
Num sincretismo imperfeito
De divindades qualquer
Mas nem santo ou orixá
Não tem forças pra’rranhar
Andor tão diamantado
Que mistura a alegria
Da cultura da Bahia
Com um frevo apaixonado!


(Jessé Costa)

2 comentários:

Roserlei disse...

Muito lindo....
Abraço,
Roserlei

welma disse...

jah tinha aprovado neh!!!!
rsrsssss...

veio da Bahia? é maraa