segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

A Puta



Seu cabelo impermeável,
Por fumar perdeu o baço
E a tatuagem no braço
- Com um nome mal borrado -
Delata um caso antigo
De um amor bandoleiro,
Que talvez fosse o primeiro
Por ela experimentado!

Os dentes qu’inda lhe restam
Mastigam grande bravura;
Tetas já pela cintura
E seu órgão, antes ledo,
Hoje é um malfazejo
Esbanjando infecção.
Quem ali passá-la mão
Chorará perdendo o dedo!

Mas essa pobre mulher
Que nunca aprendeu a ler
Precisa sobreviver...
Não medindo o que faz,
Procura pelos tarados
Nas portas dos cabarés
E pr’essas baixas ralés
Se vende por dez reais!

João Pessoa, 12/01/2009.

3 comentários:

Carolina disse...

se superando ... sei nao viu Jessezinho é cada uma iuashiaushiaushiuashiuashias

welma disse...

ele tem o proprio jeito!!!
tem = tu n visse!
sabe q te admiro né?!!
n pare nunk com essa arte viU!

=**

gilson disse...

Eita puta danada de arretada...

muito bom!