quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Duas oitavas de despedida



Vai meu bem, sem falsidade
Vai matar tua saudade
Volta pra tua cidade
Fica o tempo que quiser
Vai com toda liberdade
Pra tua realidade
Que eu congelo a vontade
De te ter como mulher!

E se Deus, o pai clemente,
Fez nós dois pra ser “a gente”,
Inadvertidamente
Lembrarás de mim às vezes
E um sorriso insistente
Vai descer da tua mente
Como quem diz: se agüente,
Afinal, são poucos meses!

João Pessoa, 16/12/2010.

4 comentários:

Mariana Dore disse...

Me senti em casa nesse blog arretado!

João Felipe disse...

meu fii...tá xonadin!
hauahu

essa tá massa também!

Neto Apolinario disse...

Eita que o home ta apaixonado mesmo!!!

FARMACÊUTICO - POETA disse...

tá doido poeta réi!!

declaração em oitavas é pá lascá o coração da muié em 200 pedaço!