quarta-feira, 11 de junho de 2008

A Fantástica Estória do Dono de um Fusca

(censura: 18 anos)

Andei num fusca acabado
Que chamava Pouca-Tinta
De anos? Com mais de trinta!
Seus bancos tudo rasgado
O tanque no mêi furado
E sem ter lanterna atrás
Seu dono não lhe quis mais
Só pegava no empurrão
E eu comprei na prestação
Feliz com gosto de gás

Pr’os raparigais que ia
Lucrava do condenado
Mas seu motor já cansado
Fraquejava a bateria
Quando foi num belo dia
Que baixou-lhe um capeta
Com tranco, nem com chupeta
Pouca-Tinta num ligou
Desde lá não mais prestou
E eu fiquei só na punheta.

(Jessé Costa)

OBS.: Estória é uma narrativa de ficção; exposição romanceada de fatos puramente imaginários.

Um comentário:

kekinhacms disse...

ÊÊÊ
coloquei no meu perfil um tá?? =)
beijoos
e Parabéns!!
gostei muito de todos