segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Oração de um fela da puta apaixonado



Quanto tempo, meu Deus, que já passou
Quanto tempo, meu Deus, daquele rosto
Quanto tempo, meu Deus, daquele gosto
Quanto tempo, meu Deus, e aqui estou
Pois no tempo, meu Deus, quem triunfou
Na batalha do Adeus que nós travamos,
Se esse tempo passou e não passamos
De dois corpos completamente ocados?
Me responda, meu Deus, se estão errados
Os caminhos da vida que tomamos?!

Me responda se o tempo encerra em dolo
Ou se o tempo com tempo o tempo aplaca
Diga a nossa coragem o quanto é fraca
E esse nosso orgulho o quanto é tolo
Depois diga, esse amor, aonde pô-lo
Pra jamais outro alguém lhe maltratar
E, meu Deus, sem querer lhe atazanar
Me responda mais outro atrevimento:
Onde estava, Senhor, seu pensamento
Ao deixar que nós dois formasse um par?!

Timbaúba, 28/02/2011

Um comentário:

Roserlei disse...

Minino poeta Jessé ...o seu poema hoje é um brinde!!

..O TEMPO pode TUDO...RESOLVE TUDO.....MOSTRA QUE TEMOS SEMPRE QUE PERDER ALGO MUITO IMPORTANTE!
Abraço.