quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Oitavas de namoro



Pequena, contigo em cena
Um “algo bom” me acena
E eu fico tal Hiena,
O mais risonho animal;
Enquanto que sem você
Eu vivo não sei pra quê
E só consigo viver
Na base do sonrisal!

Pois viver tem sido assim:
Com você perto de mim
Meu sorriso não tem fim,
Tudo é felicidade;
Porém quando tu se vai
O meu brilho se esvai
E eu viro um samurai
Sem espada de verdade!

Por isso, moça Pequena,
Me liberte dessa pena;
Seja o ar que oxigena
O sufoco do que digo;
Seja, do meu quadro, o giz;
Seja minha imperatriz;
Me diga o que você diz:
Tu quer namorar comigo?!

João Pessoa, 06/10/2010.

3 comentários:

Bruna Alves disse...

Que saudade de viver as "oitava de namoro"
Aliás... Que vontade! rsrs

PS: Essa hora da noite é o memento em que a carência fica a flor da pele e ler poesias como essa só aguça nossa vontade de encontrar um amor... (Falou a solteirona) rs

- Para de aguçar nossa vontade, Jessé! rs

Que seus pensamentos soltos sejam sempre iluminados para você continuar nos proporcionando leituras tão gostosas como essa essa...

Beijo grande, menino iluminado!

Roserlei disse...

...sua leveza ....minino Jessé é maravilhosa....nos conduz ...limpa a alma.
Abraço.

Welma disse...

Êta homi apaixonado! =]
Adoro! tudo fica mais bonito, né não ÇeÇé? Rsrs Bju pra tu!