segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Acercando sobre fé



Nessa vastidão de mundo
O que me vem a ser fé
É acreditar que a vida
Vale tanto quanto é
Mesmo com tanto porém
Nas notas de rodapé

É creditar na verdade
Acreditando bem muito
Que se eu juntar vontade
Formando um grande conjunto
E gritar: - Felicidade!
A danada vem pra junto…

E confiar lesamente
Com toda convicção
Apostando os batimentos
Que movem meu coração
Que se eu cair de cara
Vem alguém e dá-me a mão!

O que me vem a ser fé
É esse negócio bom
Que explica o impossível
Sem balbuciar um som
Por isso qu’eu digo: - Fé,
Isso sim é um grande dom!

UFPB, 08/11/2010.

2 comentários:

Roserlei disse...

Minino poeta....Jessé
.....A FÉ É INATINGÍVEL....move tudo num silêncio eterno...garante controle absoluto...
Abraço.

Luciano Pedrosa disse...

Êita poeta véi malassombrado da gota!!!