terça-feira, 2 de novembro de 2010

Três motivos



Minha Flor, eu matutei
Pra por fim me encorajar
E a custo é que juntei
a coragem de chegar
bem aqui pra te falar
e saber teu parecer
sendo assim o meu tremer
não pondere ser normal
e até o grã final
ouça o qu’eu vim lhe dizer

Eu vou te dar três motivos
Para tu me bem querer:
Dou-te meu eu engenheiro
Que irá te enriquecer
E se isso não valer
Eu te dou meu eu faceiro
Pra tu rir o tempo inteiro
Mas se nem isso te afeta
Eu te dou meu eu poeta
E te faço um cancioneiro!

E se ainda nem assim
Mesmo com tanto atributo
Tu não quiseres a mim
Pra de amor ser teu conduto
Minha flor, fico de luto
Adoecido definho
Tal qual faz o pardalzinho
Que é preso na gaiola
E depois volto pra escola
Pr’aprender a ser sozinho!

Porém se tu me quiser
Minha flor, eu fico entregue
E o meu coração bobo
Se não endoidar eu cegue
Então, minha flor, sossegue
O anseio do meu peito
Dizendo se nesse pleito
Com o meu amor na cota
Se o teu coração vota
Pra eu ser o teu prefeito?!

João Pessoa, 02/01/2010.

Um comentário:

Roserlei disse...

Poeta Jessé...minino arretado!
BOA NOITE

...essa sua criatividade ...embasada no cotidiano...no..real...no sonho...é uma prêmio.
...Três Motivos...poéticamente... da pesada....prá curtir.
Abraço.